Menu fechado

NO BRASIL, APENAS 41% DAS EMPRESAS POSSUEM POLÍTICAS DE CIBERSEGURANÇA BEM ESTABELECIDAS

Entre micro e pequenas empresas o investimento em políticas de segurança digital é ainda menor, segundo estudo realizado pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br)

Com o avanço digital promovido pela pandemia, é preciso estar bastante atento aos riscos que o uso intenso de tecnologia pode trazer. Cada vez mais, as empresas são alvos de ataques cibernéticos, perdem informações e sofrem com o vazamento de dados, como o ocorrido em janeiro deste ano, no qual milhões de CPFs foram vazados por hackers.

No entanto, ainda que a pauta da segurança cibernética seja bastante discutida entre as empresas, uma porcentagem ainda baixa delas tem, de fato, políticas de segurança já estabelecidas. Segundo estudo realizado pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), apenas 41% das companhias brasileiras têm políticas de segurança contra ataques cibernéticos que são bem estabelecidas.

Ainda de acordo com o estudo, em caso de empresas menores – que funcionam com dez a 49 colaboradores –, a porcentagem é ainda menor: são apenas 37% que investem em políticas do tipo, o que indica que, quanto maior a empresa, maior também a chance de uma proteção mais efetiva.

Os dados da NIC.br mostram que a segurança digital já é presente em 74% das grandes corporações, por exemplo, o que não ocorre nas micro ou pequenas empresas.

Vale salientar que o setor que mais investe em segurança digital é, segundo a pesquisa, o de Informação e Comunicação (65%), bastante conhecido por entregar recursos digitais e estar mais em contato com as tecnologias.

Uma cultura mais madura para com o digital

A presença constante desses ataques cibernéticos tem feito com que as empresas tentem se organizar, seja por meio do estabelecimento de softwares especializados na segurança dos dados ou mesmo para profissionais que atuam na área. É necessário dizer, entretanto, que a presença desses profissionais tem um gargalo no país, o que dificulta o processo de adoção de práticas de segurança.

Assim, ainda são poucas as empresas que oferecem treinamento em segurança digital aos seus colaboradores – algo extremamente necessário, visto que boa parte dos vazamentos e ataques de hackers ocorre pelo uso descuidado de parte deles.

O resultado da falta de conhecimento sobre o assunto é, sobretudo, custoso: são milhares de reais perdidos durante ataques, usados especialmente na resolução do problema. E, para que isso não ocorra, é ideal não apenas investir em softwares que garantam a segurança, como o certificado digital A1, mas também em reuniões que abordem a segurança digital com a equipe de colaboradores – algo que pode ser feito de forma recorrente.

É importante destacar que a transmissão de dados criptografados também reduz os riscos de vazamento de dados – algo de simples implementação dentro das empresas.

Fonte: aarb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *